(99)3531-7854 Avenida Chico Brito, 902 - Centro 08:00h – 13:00h
IMG-LOGO
Home / A Prefeitura / História da Cidade

Estreito/MA

História

Estreito é um município brasileiro do estado do Maranhão. Possui área de 2.718,978 km². Localiza-se a uma latitude 06º33'38" sul e a uma longitude 47º27'04" oeste, estando a uma altitude de 153 metros e a 750 km da capital, São Luis. Sua população era de 42.527 habitantes, em 2020. O nome Estreito é uma alusão a parte mais estreita do Rio Tocantins, onde se encontram construídas duas pontes, que unem os Estados de Tocantins e Maranhão: a rodoviária Ponte do Estreito MA na rodovia BR-010[6] e a ferroviária Ponte Ferroviária de Estreito MA na Ferrovia Norte-Sul.

Em Estreito, também fica localizada a Usina Hidrelétrica Estreito, inaugurada em 2012 capaz de gerar até 1.087.MW de potência. O reservatório terá 5,4 bilhões metros cúbicos, com 555 km².

A história desse município começa no ano de 1909, quando Virgílio Franco e Antônio Marinho fundaram um povoado que em razão de sua localização no ponto de melhor travessia do rio Tocantins, em demanda do Estado de Goiás e vice-versa, recebeu a denominação de Estreito.

 

RELATO HISTÓRICO

A história de Estreito tem início em meados do século XIX, quando viajantes admirados pela beleza do Rio Tocantins, que exatamente ali formava um pequeno canal, daí a origem do nome Estreito. E assim, os viajantes perceberam que o local reunia as melhores condições para as pessoas se estabelecerem ali.

É importante lembrar que o advento Belém-Brasília só aconteceu em 1961. Este grande percurso deixava um espaço longo sem povoação e assim Estreito surge num lugar estratégico, o ano era 1909.

O que difere do relato de alguns populares, é que povoamento de Estreito não surge na Beira Rio e sim na localidade denominada de Brejo do Pinto, distante 04 quilômetros do Tocantins. O nome se dá por causa do fundador de Estreito que tinha este sobrenome e veio para a região criar gado, aproveitando os pastos naturais do lugar, vindo a partir de Carolina na segunda metade do século XIX.

Com o surgimento da povoação, vários comerciantes e mercadores, de modo geral, passaram por Estreito, porém dois fixaram residência no novo distrito e ficaram até bem pouco tempo: Virgílio Franco e Antônio Marinho.

PRIMEIRA EMANCIPAÇÃO POLITICA DE ESTREITO

Em 1948 o povoado é elevado à categoria de Vila, subordinado ao Município de Carolina, que na época gozava a posição de grande e prospera cidade, onde diariamente aterrissavam inúmeros aviões.

Na ocasião em que Estreito recebe a elevação de Vila, seu nome mudou para Paranaidji, nome indígena que tem o significado de lugar de limo, uma espécie de alga verde escura que se forma no fundo mares e rios.

Seis anos depois, num período em que o Brasil atravessava momentos tumultuados, a pequena Vila se tornou um lugar próspero e desenvolvido. Foi então que o Presidente Getúlio Vargas recebe uma homenagem; a Vila Paranaidji, através de uma Lei estadual, recebe sua emancipação política, a nova Cidade passa a se chamar Presidente Vargas, em 27 de dezembro de 1954, uma homenagem ao presidente que teria cometido suicídio em 24 de agosto daquele ano.

A Cidade de Presidente Vargas surge com muita animação política e no dia 3 de outubro de 1955 os moradores têm a oportunidade de escolher seus representantes por meio de eleições.

O primeiro prefeito eleito foi Alexandrino Silveira Milhomem, que tomou posse no dia 05 de fevereiro do ano seguinte. Foram eleitos nove vereadores, sendo eles: Aarão Jorge, Alda Franco, Alexandre Gomes Silveira, Almir Aguiar Milhomem, Antônio Valentim, Bento Parreão, Marcelino Moura, Maria de Jesus Leal e o presidente da Câmara, Sinésio Abreu.

Um fato interessante é que a prefeitura funcionava no Brejo do Pinto e a Câmara de vereadores, na Fazenda Serafim, de propriedade de Sinésio Abreu.

Em 1955, de acordo com o IBGE, Estreito tinha uma população de 1.736 habitantes. A área do município era de 3.790 quilômetros quadrados, a população vivia quase toda na zona rural, em média 90% moravam em localidades adjacentes a sede do município.

Não obstante, em 10 de janeiro de 1958, o Supremo Tribunal Federal decidiu que a lei que criou o novo município era inconstitucional e o sonho de autonomia e independência foi interrompido, é que Estreito volta à posição anterior e novamente, como vila, é anexado a Carolina.

Mais de uma década depois, chega a Estreito, um comerciante, vendedor de relógios por nome Valmir Siebra Vilar, o “Ceará”, que liderando o povo, depois de ser eleito por Carolina, vereador por mais de um mandado e vice-prefeito, reivindica a realização de um plebiscito. Este consegue finalmente, em 12 de maio de 1982. Em tempo importante, recebe, Estreito novamente, a sua condição de Cidade.

A história também contribui com Valmir Siebra Vilar que foi eleito o primeiro prefeito neste segundo período de emancipação política do município.

 

História